Um dos suplementos nutricionais mais populares é o Ômega 3. Seus benefícios já foram comprovados por inúmeras pesquisas realizadas em vários países. Por isso, é muito importante saber reconhecer a qualidade desse suplemento, uma vez que sua pureza e concentração variam em cada produto.

A ingestão diária recomendada de ômega 3 é de 1 a 4 gramas e a concentração de DHA e EPA por cápsula, determinará a necessidade de se consumir mais ou menos cápsulas para alcançar o nível máximo recomendado.

A qualidade do óleo de peixe ingerido também é importante. O nível de contaminação por metais pesados como mercúrio, chumbo, arsênico e cádmio pode gerar problemas cardiovasculares, respiratórios, digestivos, reprodutivos, além de afetar o sistema nervoso. Por isso é necessário também consumir produtos de origem certificada.

IFOS é um projeto desenvolvido pela empresa canadense Nutrasource e atualmente é referência mundial no controle de qualidade do ômega 3. Produtos que contem EPA e DHA e cumprem as normas de segurança para contaminantes ambientais definidos pelo Council for Responsible Nutrition (CRN)/The Global Organization for EPA and DHA Omega-3 (Goed) e da Organização Mundial de Saúde (OMS), são elegíveis para inclusão no programa.

O Programa IFOS testa os seguintes compostos do óleo de peixe:

  • Dioxinas, furanos e PCB;
  • Ácidos graxos essenciais e oxidação (peróxido, anisidina, oxidação total);
  • Mercúrio, Cádmio, Chumbo, Arsênico;
  • Índice de acidez.

 

Além do selo, há outros aspectos importantes a serem observados para avaliar a qualidade do suplemento de ômega 3:

 

  1. Vitamina E. Essa vitamina vai atuar como um antioxidante, evitando assim a oxidação do óleo e mantendo a qualidade do produto. Mas CUIDADO! A vitamina E não pode ser contada como uma suplementação, tendo em vista que é apenas coadjuvante técnico do produto;
  2. A relação de EPA e ômega 6 (ácido araquidônico) também deve ser conferida. O ideal é que esta relação seja de 20% de EPA para 1% de ácido araquidônico (AA). Infelizmente nem todos os rótulos especificam a quantidade de AA;
  3. Examinar o rótulo para ver se o produto é livre de contaminantes ambientais: PCBs, mercúrio e dioxinas;
  4. Ômega 3 de boa qualidade não congela quando em baixíssimas temperaturas. Assim, ao comprar o seu suplemento, abra duas cápsulas ou mais e coloque em um recipiente. Em seguida leve o recipiente ao congelador. Se congelar, não temos um óleo de boa qualidade.

Mais de 60 empresas ao redor do mundo tem o selo do IFOS Program nos seus produtos.

No site do IFOS Program (http://www.nutrasource.ca/ifos/product-reports/default.aspx) você encontra a lista completa dos produtos avaliados e reconhecidos pelo programa e o desempenho de cada empresa nas categorias acima.

Uma última dica: ao comparar os produtos, calcule o preço em cima da quantidade de EPA e DHA que você está comprando.

Para concluir não esqueça: TODA E QUALQUER SUPLEMENTAÇÃO DEVE SER INDICADA POR UM PROFISSIONAL MÉDICO HABILITADO E CAPACITADO. Somente o profissional pode lhe avaliar e orientar quanto a dosagem de ômega 3 (ALA, EPA e/ou DHA).