Estudos revelam que dormir pouco nos leva a comer mais durante o dia seguinte. E nós ingerimos mais quantidade de comidas não saudáveis.

Estudo publicado na Revista Sleep neste mês, descobriu um novo mecanismo que ajuda a explicar por que pessoas que apresentam privação de sono apresentam maior risco de ganharem peso.

Um grande número de evidências laboratoriais e de estudos epidemiológicos demonstra que um sono insuficiente pode ser um fator de risco para obesidade.

O encurtamento do sono estimula a fome e a maior ingestão de alimentos calóricos, sugerindo o envolvimento de mecanismos de recompensa pela privação anterior. Esse estudo testou a hipótese de que a restrição do sono está associada à ativação do sistema endocanabinóide (BCE) – o mesmo que é ativado quando o individuo faz uso de maconha! – um componente chave das vias hedônicas envolvidas na modulação do apetite e na ingestão de alimentos.

Os resultados mostraram que ocorre ativação do sistema endocanabinóide após uma noite mal dormida e isso pode estar envolvido na ingestão excessiva de alimentos e contribuir para o aumento de comportamento alimentar compulsivo, ganho de peso e obesidade.

Outros problemas relacionados a noites mal dormidas são a maior vulnerabilidade para contrair doenças, nossos ciclos e horários de sonos costumam ser variados, dependendo da frequência da privação, o cansaço crônico começa a se manifestar e não raro, sente-se mal estar estomacal. Dormir mal traz consequências ao sistema digestivo, principalmente nas mulheres. Algumas doenças, como a gastrite e a colite, por exemplo, podem estar relacionadas a isso.

Resumindo: quem dorme mal, engorda.

Cuidar da qualidade do sono é cuidar da saúde!

Blibliografia –  Hanlon EC, Tasali E, Leproult R, Stuhr KL, Doncheck E, de Wit H, Hillard CJ, Van Cauter E. Sleep restriction enhances the daily rhythm of circulating levels of endocannabinoid 2-arachidonoylglycerol.SLEEP 2016;39(3):653–664.